terça-feira, 19 de junho de 2018

Have it All!


Have It All
Intérprete: Jason Mraz
Compositores: Becky Gebhardt / Mai Bloomfield / Mona Tavakoli / Chaska Potter / Jacob Kasher / David Hodges / Jason Mraz © Kobalt Music Publishing Ltd.



May you have auspiciousness and causes of success
May you have the confidence to always do your best
May you take no effort in your being generous
Sharing what you can, nothing more nothing less
May you know the meaning of the word happiness
May you always lead from the beating in your chest
May you be treated like an esteemed guest
May you get to rest, may you catch your breath

And may the best of your todays be the worst of your tomorrows
And may the road less paved be the road that you follow

Well here's to the hearts that you're gonna break
Here's to the lives that you're gonna change
Here's to the infinite possible ways to love you
I want you to have it
Here's to the good times we're gonna have
You don’t need money, you got a free pass
Here's to the fact that I'll be sad without you
I want you to have it all

Oh! I want you to have it all
I want you to have it
I want you to have it all

May you be as fascinating as a slap bracelet
May you keep the chaos and the clutter off your desk
May you have unquestionable health and less stress
Having no possessions though immeasurable wealth
May you get a gold star on your next test
May your educated guesses always be correct
And may you win prizes shining like diamonds
May you really own it each moment to the next

And may the best of your todays be the worst of your tomorrows
And may the road less paved be the road that you follow

Well here's to the hearts that you're gonna break
Here's to the lives that you're gonna change
Here's to the infinite possible ways to love you
I want you to have it
Here's to the good times we're gonna have
You don’t need money, you got a free pass
Here's to the fact that I'll be sad without you
I want you to have it all

Oh, I want you to have it all
I want you to have it
I want you to have it all

Oh, I want you to have it all
All you can imagine
All, no matter what your path is
If you believe it then anything can happen
Go, go, go raise your glasses
Go, go, go you can have it all
I toast you

Here's to the hearts that you're gonna break
Here's to the lives that you're gonna change
Here's to the infinite possible ways to love you
I want you to have it
Here's to the good times we're gonna have
You don’t need money, you got a free pass
Here's to the fact that I'll be sad without you
I want you to have it all

Oh, I want you to have it all
I want you to have it
I want you to have it all

Here's to the good times we're gonna have
Here's to you always making me laugh
Here's to the fact that I'll be sad without you
I want you to have it all


terça-feira, 12 de junho de 2018

Não é uma tragédia...

por: Marcos Piangers


Essas coisas acontecem. Um jovem adoece no verão. Um senhor é atropelado por um taxi. A biópsia aponta que o tumor é maligno. Essas coisas acontecem todo dia. E todos os dias saímos de casa achando que jamais acontecerá conosco. Uma doença leva embora um pai. O médico comunica um exame preocupante. Uma moto atravessa um sinal fechado. Todos os dias isso acontece. E todos os dias nossos planos são os mesmos. Trabalho, almoço, trabalho, jantar.

Não acho que seja uma tragédia quando essas coisas acontecem com a gente. Dizemos: “Que tragédia! Morreu tão cedo!". Não acho que seja uma tragédia. Acho que a vida é um amontoado de caos e coincidência. Acho que hoje estamos aqui e amanhã não estamos mais. Uma tragédia é não agradecer por esse tempinho que estamos aqui. Uma tragédia é não valorizar a vida em família. Uma tragédia é trocar o sorriso do nosso filho pelo celular. Um passeio em família pelas preocupações do trabalho.

Uma tragédia é não abraçar as pessoas hoje. Uma tragédia é passar a vida em branco. Uma tragédia é achar que um dia vamos ser felizes, não hoje. Uma tragédia é achar que não vai acontecer com a gente. E a vida vai ficando pra depois. Um dia eu mudo de emprego. Um dia eu digo que gosto dela. Um dia eu faço uma viagem. Um dia eu vou ser voluntário nesse projeto.

Não acho que seja uma tragédia uma jovem cheia de planos descobrir uma doença grave. Acho uma tragédia quando aprendemos a valorizar o que temos só depois de perder. Acho uma tragédia não termos ido ainda para aquela viagem dos nossos sonhos. Acho uma tragédia viver de aparências. Acho uma tragédia ter comprado coisas achando que isso seria felicidade. Acho uma tragédia trabalhar em algo que você odeia. Acho uma tragédia você passar a vida brigado com alguém.

A morte não é uma tragédia. Tragédia é quando a gente não viveu.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

O Melhor de Mim.

Intéprete: Mariza
Letra escrita por AC Firmino e música composta por Tiago Machado



Hoje, a semente que dorme na terra
E se esconde no escuro que encerra
Amanhã nascerá uma flor

Ainda que a esperança da luz
Seja escassa
A chuva que molha e passa
Vai trazer numa gota amor

Também eu estou
À espera da luz
Deixo-me aqui
Onde a sombra seduz

Também eu estou
À espera de mim
Algo me diz
Que a tormenta passará

É preciso perder
Para depois se ganhar
E mesmo sem ver
Acreditar!

É a vida que segue
E não espera pela gente
Cada passo que dermos em frente
Caminhando sem medo de errar

Creio que a noite
Sempre se tornará dia
E o brilho que o sol irradia
Há-de sempre me iluminar

Quebro as algemas neste meu lamento
Se renasço a cada momento
Meu o destino na vida é maior

Também eu vou
Em busca da luz
Saio daqui
Onde a sombra seduz

Também eu estou
À espera de mim
Algo me diz
Que a tormenta passará

É preciso perder
Para depois se ganhar
E mesmo sem ver
Acreditar!

É a vida que segue
E não espera pela gente
Cada passo que dermos em frente
Caminhando sem medo de errar

Creio que a noite
Sempre se tornará dia
E o brilho que o sol irradia
Há-de sempre nos iluminar

Sei que o melhor de mim
Está para chegar
Sei que o melhor de mim
Está por chegar
Sei que o melhor de mim
Está para chegar

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Ajudar os outros a viver ou ajudar os outros a morrer?


Mafalda Ribeiro tem 32 anos de uma vida invulgar. Estudou jornalismo, mas foi técnica de comunicação numa empresa de ambiente. Não é jornalista na prática, mas é o gosto pelas letras que faz mover a sua cabeça, ainda que as pernas não lhe obedeçam. Convive com a doença rara congénita Osteogénese Imperfeita e desloca-se em cadeira de rodas desde sempre.

Fez uma certificação em Coaching Internacional e é oradora motivacional. É convidada para falar em público acerca da sua visão otimista da vida em empresas, escolas, seminários e foi ainda oradora numa Ignite e dois TEDx. É voluntária em projectos de solidariedade social, tem um olhar humanista e aguçado do mundo e por isso dá a cara e a voz pela inclusão e pela igualdade de oportunidades, sempre que lhe dão tempo de antena.

Mafalda Ribeiro não vê limites diante das suas limitações. É uma mulher de palmo e meio, informada, atenta aos pormenores e grata por poder continuar a usufruir da viagem da vida. Celebra-a continuamente com um sorriso... sobre rodas! Mais em sorrirsobrerodas.pt

A propósito da Eutanásia, a Mafalda escreveu em 2016 para a Visão a crónica: "E SE AJUDÁSSEMOS OS OUTROS A VIVER?"

Vale a pena ler...
Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer 
Sim, eu tenho 95% de incapacidade motora, avaliada por uma Junta Médica. Mas a minha vida nunca foi uma tragédia, apesar de todos os “tsunamis” que tive de enfrentar. A minha vida não é inútil porque sei que através dela posso ser relevante para quem acha que já perdeu a esperança. Os outros até podem dizer-me o que fazer, mas a minha liberdade individual levou sempre a melhor, ainda que “aprisionada” numa cadeira de rodas. Sabem porquê? Porque eu nunca tive vergonha de pedir ajuda, para viver. Nunca fui autónoma, mas isso não me tornou menos digna em nenhum dos dias, desde que nasci. É por isso que não posso ficar em silêncio, numa altura em que nos preocupamos em como ajudar os outros a morrer. E se ajudássemos os outros a viver?

terça-feira, 22 de maio de 2018

Vacinar para quê?

Retirado de: https://www.dgs.pt/cidadao/vacinacao.aspx

A vacinação previne o aparecimento de doenças, torna possível a sua erradicação, eliminação ou controle e protege as pessoas de sofrimento e de morte.

  

As vacinas permitiram salvar mais vidas e prevenir mais casos de doença do que qualquer tratamento médico, melhoram o bem-estar dos povos, contribuem para a eficiência e sustentabilidade dos serviços de saúde e são um fator de desenvolvimento.


O progresso da investigação científica e da tecnologia vão colocando à disposição da humanidade melhores vacinas e vacinas contra mais doenças.